PT / ENG
Notícias
   Listar 
É PRECISO UMA “EVANGELIZAÇÃO” DO E-COMMERCE EM CABO VERDE

O “e-Commerce: entre Desafios e Oportunidades” foi mote, esta terça-feira, 24, de um workshop, que ANAC, em parceria com os operadores do setor postal, organizou na sua sede em Chã D’Areia – juntando os seus stakeholders para celebrar o Dia Mundial dos Correios, que se comemora a 9 de Outubro.
O tema da conversa que decorreu de forma descontraída, afunilou-se para a problemática da logística e dos transportes. Ou seja, os presentes quiseram saber, qual é o estado da arte do comércio eletrónico em Cabo Verde e quais os constrangimentos com que se depara, no domínio da logística e dos transportes.
Na verdade, não existem estudos em Cabo Verde que indicam o nível de desenvolvimento do “e-commerce” no País. Contudo, acredita-se que até 2030, o comércio eletrónico em Cabo Verde deverá crescer em torno de 75 por cento. Em face desta tendência, os operadores têm que se preparar para fazer face aos constrangimentos a nível da logística e dos transportes, às barreiras alfandegárias, à regulamentação dos serviços ligados à assinatura digital, à problemática ligada ao pagamento através de plataformas digitais, etc.
Para o presidente da ANAC, David Gomes, o transporte, a movimentação e o armazenamento de encomendas dentro e fora das empresas do setor postal, garantindo a integridade e os prazos de entrega dos produtos aos clientes, são aspetos importantes no comércio eletrónico.
“O negócio pela Internet exige cuidados específicos em relação às entregas e ao relacionamento com o cliente, antes, durante e no pós-venda. O sistema precisa ter uma boa logística para entregar no transitário até chegar o destino”, sublinha Gomes, em declaração à imprensa à margem dos trabalhos do workshop.
Os presentes que deram nota positiva ao evento, convergem-se na necessidade de os operadores do setor postal, a entidade reguladora, no caso a ANAC, as empresas ligadas às novas tecnologias de informação e comunicação e os stakeholders do ecossistema “e-commerce” se juntarem numa grande campanha de “evangelização” do comércio eletrónico em Cabo Verde, já que apesar da tendência de crescimento, conhece-se, ainda, muito pouco os seus meandros de funcionamento.
Consideram, igualmente, os participantes que intervieram nas conversas, que o comércio eletrónico em Cabo Verde pode ser uma grande oportunidade de negócios e parceiro do Governo na resolução do problema de desemprego no País. “Há serviços que não precisam de nenhuma logística para os vender dentro e fora do País. Estou a referir-me, por exemplo, a venda on-line de serviços hoteleiros. Não precisam de logística. Eu compro e recebo uma reserva. Venda de jornais em PDF, que começamos há oito anos em toda nossa diáspora”, lembra Paulo Martins da Prime Consulting, desafiando instituições como ANAC, Cabo Verde Trading Invest, operadores do setor postal e bancos comerciais a colocarem todos serviços à disposição dos consumidores através da plataforma online.
Desta forma, garante Martins, as instituições estariam a promover o comércio eletrónico em Cabo Verde, mas ao mesmo tempo, a criar as oportunidades de negócios e, consequentemente, o emprego e a competitividade das empresas do setor.
Jassica Tavares diretora comercial dos Correios de Cabo Verde, considera que os operadores postais têm de cumprir dois grandes desafios, na era da e-comerce: a satisfação dos clientes e os transportes. Para isso, a sua empresa criou o conceito “morada certa” assente numa espécie de tracking force, que permite os clientes acompanhar o fluxo da sua encomenda desde compra até chegar o seu destino, sem ter que enfrentar filas de espera, nos correios.
Para aquela responsável comercial dos CCV, o comércio eletrónico em Cabo Verde enfrenta, ainda, um outro grande desafio, que tem que ver com acesso das pessoas aos cartões de crédito nos bancos comerciais. “A nível internacional todas as pessoas usam cartões de crédito para fazer pagamentos. Aqui em Cabo Verde, posso comprar com cartão de débito. Mas eu quero ir para um mercado maior a nível internacional. Mas para isso, preciso de um cartão de crédito”, assevera Tavares questionando a percentagem residual das pessoas que usam cartão de crédito no nosso País. “Não é só os operadores postais, neste caso, os Correios de Cabo Verde que têm que dinamizar o e-commerce, mas também os bancos comerciais, porque ele é uma realidade”, remata.

CEDEAO QUER INTRODUZIR ROAMING NO INICIO DE 2018

A medida foi aprovada e anunciada durante a 15.ª reunião dos ministros que tutelam as áreas das tecnologias de informação e comunicação na CEDEAO, que aconteceu na cidade da Praia, em Cabo Verde, na sexta-feira, 6.

 

Os ministros que tutelam as Telecomunicações na Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) aprovaram, na cidade da Praia, a introdução do 'roaming' gratuito na sub-região, esperando facilitar a mobilidade e aumentar as trocas comerciais.

A medida foi aprovada durante a 15.ª reunião dos ministros que tutelam as áreas das tecnologias de informação e comunicação na CEDEAO, que aconteceu no passado dia 6 de outubro na capital cabo-verdiana.

 

O ministro da Economia e Emprego de Cabo Verde, José Gonçalves, disse que a aplicação do sistema de ‘roaming’ gratuito na sub-região africana será uma "grande conquista" e terá "enormes valias" para integração e inclusão regionais através das comunicações.

 

"Isso vai ser de extrema importância, porque a economia do futuro vai ser baseado na Internet", salientou o ministro, lembrando que o ‘roaming’ já começou a ser aplicado em "alguns países", mas agora vai ser alargado a toda a região, tornando a "autoestrada de comunicação, mais acessível e mais barata".

 

O comissário cabo-verdiano da CEDEAO Isaías Barreto referiu que a região já tem livre circulação de pessoas e de bens, mas ainda tem "alguma dificuldade" naquilo que diz respeito à circulação e tráfego de voz e dados.

 

"Os preços de ‘roaming’ na África Ocidental são proibitivos, o salário médio ronda os 50 dólares e, por exemplo, se alguém viajar entre alguns países, o custo atual do ‘roaming’ pode chegar aos 11 dólares por minutos", anotou.

 

Isaías Barreto disse que num contexto em que os países querem criar um mercado único e promover as trocas comercias na sub-região, é necessário aplicar o ‘roaming’ gratuito, que considera ser uma iniciativa que vai afetar o cidadão comum da África Ocidental.

 

"A visão 20-20 é transformar a CEDEAO numa organização de Estados para uma organização dos povos, com projetos e iniciativas que tocam a vida dos cidadãos. Estamos convictos de que essa iniciativa irá tocar a vida do cidadão comum da nossa sub-região", sustentou.

 

O comissário indicou que 60% dos cidadãos da África Ocidental que emigram, fazem-no dentro da sub-região, fazendo com que tenha a maior taxa de circulação de pessoas do que em qualquer outra das demais comunidades económicas de desenvolvimento.

"O ‘roaming’ gratuito será, certamente, um estímulo à circulação de pessoas e bens e às trocas comerciais", perspetivou, adiantando que as trocas comerciais nos países da África Ocidental rondam apenas 12%, pelo que considerou ser "fundamental" medidas que incentivam trocas.

 

Relativamente às operadoras de telecomunicações, o comissário disse que o assunto foi discutido com elas, levando em consideração alguns aspetos, como o combate à fraude.

"Levando isso em consideração, a maioria dos operadores está do nosso lado e concordam que é uma iniciativa boa, em que sairão a ganhar", afirmou.

Isaías Barreto disse que, com a aprovação por parte dos ministros da TIC, o dossiê sobre o ‘roaming’ gratuito será levado ao Conselho de Ministros da CEDEAO, que acontecerá em dezembro, em Lomé, para aprovação e formalização finais.

Depois disso, indicou que haverá seis meses para a aplicação efetiva em todos os países da CEDEAO, mas disse que no início do ano todos os países poderão ter o ‘roaming’ gratuito.

Além do ‘roaming’ gratuito na África Ocidental, os ministros que tutelam as áreas das tecnologias de informação e comunicação vão analisar e aprovar, entre outros, questões relativas ao acesso à Internet, cibersegurança e cibercriminalidade, controlo de fronteiras digitais.

A CEDEAO é formada por 15 países, entre eles Cabo Verde e Guiné-Bissau, e 300 milhões de consumidores.

Benim, Burkina Faso, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné-Conacri, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Serra Leoa, Senegal e Togo são os outros países que integram a comunidade.

 

Fonte: ARCTEL/ Lusa

DIA MUNDIAL DOS CORREIOS - MENSAGEM DE 2017 DO DIRETOR-GERAL

 

Transformar para continuar a ser um facilitador do desenvolvimento inclusivo e um componente essencial da economia global

 

O Dia Mundial dos Correios é celebrado todos os anos em 9 de outubro. O evento foi originalmente criado pelo Congresso Postal Universal de 1969 em Tóquio como meio de marcar o aniversário da criação da União Postal Universal em 1874.

 

Hoje, o objetivo principal do World Post Day é aumentar a conscientização sobre o papel do Post na vida cotidiana de pessoas e empresas, bem como sua contribuição para o desenvolvimento social e econômico global. Os países membros da UPU são encorajados a organizar suas próprias atividades nacionais para comemorar o evento: tudo desde a introdução ou promoção de novos produtos e serviços postais até a realização de dias abertos nas agências de correios, centros de classificação ou museus postais.

 

É importante lembrar-se constantemente do papel que as Mensagens desempenham hoje em nossas sociedades, porque algumas tendências-chave estão transformando nosso mundo de cabeça para baixo. Vejo quatro principais desenvolvimentos a este respeito: Em primeiro lugar, a penetração da Internet está crescendo ano a ano, transformando as formas como os cidadãos interagem, se comunicam e fazem negócios; Em segundo lugar, os clientes em todas as indústrias estão se tornando cada vez mais exigentes: nesta era da tecnologia digital e móvel, queremos coisas aqui e agora, e queremos escolha e controle; Em terceiro lugar, o comércio eletrônico e a logística leve estão explodindo, crescendo a taxas de dois dígitos na maioria das regiões; E em quarto lugar, depois de anos de crescimento lento, a economia mundial e o comércio internacional estão finalmente voltando ao bom caminho.

 

Neste contexto, as postagens só podem mitigar os riscos e aproveitar as oportunidades se se envolverem em reformas. Eles precisam se reinventar, abraçar a digitalização, redefinir sua proposta de valor e desenvolver novos produtos e serviços. Eles também exigem apoio político e investimentos, bem como um quadro regulamentar apropriado para suas atividades.

 

 

Há muito a ganhar com esta transformação: clientes mais satisfeitos, mercados postais mais fortes e, mais importante, sociedades mais coesas. Com os países intensificando esforços para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, não devemos esquecer que o setor postal é um facilitador do desenvolvimento inclusivo e um componente essencial da economia global. Nas áreas mais remotas e mais povoadas do nosso planeta, continua a ser uma plataforma fundamental para a prestação de serviços públicos.

 

Como organização intergovernamental dentro do sistema das Nações Unidas, nós na UPU estamos muito preocupados com o papel de Posts como um elemento de infra-estrutura pública. Nós nos esforçamos para permitir que todas as 192 redes nacionais de nossos países membros atuem como uma. Oferecemos plataformas que permitem aos nossos membros trocar opiniões e encontrar soluções multilaterais para questões globais. Fornecemos soluções e assistência técnica acessíveis a governos, reguladores e operadores postais que desejam atualizar sua infra-estrutura postal nacional. E somos o único centro global de conhecimento para o setor, com base no poder dos grandes dados postais em benefício de todos.

 

Fiel à sua missão, a UPU escolheu dois destaques principais para as celebrações do Dia Mundial do Dia deste ano. Em primeiro lugar, estaremos reconhecendo os países mais bem sucedidos no recém-lançado Índice Integrado de Desenvolvimento Postal. Fornecer um instantâneo do desenvolvimento postal em 170 países, este novo índice é uma ferramenta poderosa que os governos, reguladores e operadores postais podem usar para promover a excelência postal. Os principais três maiores do mundo (Suíça, França e Japão) e os campeões regionais (Brasil, Maurício, Polônia, Cingapura e Emirados Árabes Unidos) merecem ser parabenizados pelo excelente desempenho.

 

Também estaremos celebrando a geração mais jovem, que não está perdendo o hábito de escrever mesmo nesta era de novas tecnologias. O vencedor deste ano do concurso internacional de escrita de cartas da UPU é Eva Giordano Palacios, de quatro anos de idade, do Togo, que escreveu uma carta pungente ao secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pedindo maiores esforços para ajudar os países pobres a abolirem práticas antigas que persistem por falta de desenvolvimento socioeconômico.

Como mostram esses exemplos, o mundo postal está muito vivo. Então, adotemos novas tecnologias e abraçamos a transformação!

 

Desejo-lhe um feliz Dia Mundial do Correio.

 

Bishar A. Hussein

Diretor Geral da UPU

 

 

PERITOS DAS TIC DA CEDEAO REUNIDOS NA PRAIA COM ROAMING E ACESSO UNIVERSAL NA AGENDA

PERITOS DAS TIC DA CEDEAO REUNIDOS NA PRAIA COM ROAMING E ACESSO UNIVERSAL NA AGENDA

Peritos da CEDEAO estão reunidos desde segunda-feira, 2, na Praia. Um encontro que antecede a XV Conferência dos Ministros das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) da Comunidade de Estados da África Ocidental (CEDEAO), que acontece esta sexta-feira, 6, na capital do País para discutir, entre outros assuntos, o roaming gratuito entre os países comunitários.

De acordo com o Isaías Barreto, comissário das Tecnologias de Informação e Comunicação da CEDEAO espera-se que no final deste encontro os ministros responsáveis das TIC da CEDEAO possam aprovar o Roaming gratuito para todos os países comunitários. “Na África Ocidental nós temos livre circulação de pessoas, bens e capitais, mas não temos livre circulação de tráfico de voz e dados. As telecomunicações na nossa sub-região têm um custo bastante elevado, se levarmos em consideração o poder de compra das nossas populações”, afiança Barreto para quem à semelhança da livre circulação de pessoas, bens e capitais, os cidadãos desta sub-região devem ter acesso livre também aos recursos das tecnologias de informação e comunicação e, particularmente, ao roaming gratuito.

“Queremos, igualmente, que no final deste encontro os nossos ministros das TIC aprovem o Projeto de Ato Adicional sobre o Acesso Universal. Nós temos um texto de 2007, que foi aprovado há 10 anos, e que leva em consideração, sobretudo, o acesso universal no que diz respeito ao acesso à telefonia móvel, mas não leva em consideração o acesso à internet”, disse Isaías Barreto sublinhando que nos dias que correm o acesso à internet é um direito humano fundamental, de acordo com as Nações Unidas.

Ainda, de acordo com o Comissário das TIC da CEDEAO para termos uma boa governança na nossa sub-região e para dinamizarmos as nossas economias é preciso que os governos democratizem o acesso à internet.

Questionado se a gratuitidade seria extensivo aos mais de 300 milhões de habitantes da CEDEAO, Isaías Barreto é perentório em afirmar que “dificilmente chegaremos a um ponto em que todos os cidadãos da CEDEAO terão acesso gratuito à internet. Mas gostaríamos que os nossos cidadãos tivessem acesso à internet a um preço mais próximo do seu poder de compra”, afirma, reconhecendo que neste momento a comunidade está muito distante desta realidade.

Recorde-se que este evento é organizado pelo Governo de Cabo Verde em parceria com o Departamento de Telecomunicações e Tecnologias de Informação e Comunicação da  CEDEAO e Agência Nacional das Comunicações - ANAC.

ANAC LANÇA CONSULTA PÚBLICA SOBRE TAXA DE CUSTO MÉDIO PONDERADO DE CAPITAL

A ANAC, enquanto Autoridade Reguladora Nacional (ARN) das comunicações eletrónicas lança, a partir desta quinta-feira, 15, a Consulta Pública sobre a Taxa de Custo Médio Ponderado do Capital, conhecida no acrónimo inglês por WACC.

A iniciativa que decorre entre 15 de Junho e 14 de Julho é aplicável ao triénio 2016-2018. O documento encontra-se disponível  aqui e os interessados, querendo, podem sempre enviar os suas contribuições e/ou comentários, no prazo de 30 dias, para e:mail: consultapublicawacc@anac.cv, sem prejuízo, ainda, de fazê-los chegar através de carta para o endereço da ANAC, disponível no documento.

Recorde-se que o documento que ora se submete à consulta pública, inclui uma análise por parâmetros de metodologia para a determinação da Taxa do Custo Médio Ponderado de Capital (CMPC e sistematiza a informação utilizada para a atualização destes parâmetros e valores finais.

Indicadores estatísticos quarto trimestre 2016

A Agência Nacional das Comunicações - ANAC é a entidade responsável pela recolha, análise e divulgação de informação estatística do sector das comunicações eletrónicas e postais.

Nas últimas décadas, o sector das telecomunicações tem vindo a assumir um papel determinante para o desenvolvimento económico, o crescimento da produtividade e a difusão tecnológica, daí a importância da compilação desses dados que constituem indicadores que permitem conhecer o estado actual da infra-estrutura de telecomunicações do país, nomeadamente ao nível de Telefonia fixa e móvel, internet e televisão por assinatura.


Clique aqui para aceder ao documento completo com todos os dados relativos ao sector.

Mensagem do Secretário-geral da UIT Dia Mundial das TIC e da Sociedade de Informação 2016 - Houlin Zhao

Empreendedorismo TIC com impacto social

No ano passado, comemoramos os 150 anos da UIT, reafirmando a nossa reputação mundial como uma das organizações mais resilientes e relevantes, dedicada a conectar o mundo com os meios mais inovadores de comunicação.

Ao celebrarmos o dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação 2016, estabelecido pela UIT em 17 de Maio de 1865,continuamos a olhar para futuros avanços nas comunicações.

Nós concentramos a nossa atenção este ano no lema "Empreendedorismo TIC com impacto social".

O sector das TIC é um dos mais rentáveis e bem-sucedidos e revolucionou a forma como o mundo se comunica. Através de uma combinação de políticas e reformas regulatórias dos governos, das normas internacionais, da inovação da indústria e do investimento em infra-estruturas e novos serviços, bilhões de pessoas foram trazidas para a sociedade da informação em um período de tempo extremamente. Esta é uma conquista partilhada pela qual todos nós podemos estar orgulhosos.

Com base nesta fundação, estamos agora em um ambiente cada vez mais inteligente, em rede abrangendo o cloud computing e novas aplicações em diversas áreas para financiar a saúde e outros serviços, sistemas de transportes inteligentes e de futuro.

Á medida que avança a implementação de infra-estruturas e aumentamos a conectividade, o papel dos serviços e as aplicações irão crescer juntamente potenciando a entrada no mercado de pequenas e médias empresas inovadoras que apresentam soluções para atender as necessidades locais onde estejam inseridas.

O empreendedorismo das TIC está desenhado para trazer uma mudança de paradigma com impacto social significativo.

Precisamos de sua experiência, inovação e investimento para alcançar nossos objetivos comuns de desenvolvimento económico e social sustentável.

As Pequenas e médias empresas (PME), a criação de empresas e centros tecnológicos são os promotores de soluções inovadoras e práticas para catalisar progressos, especialmente nos países em desenvolvimento. As PME representam mais de 90 por cento de todas as empresas em todo o mundo, e representam um "caminho para sair da pobreza" para muitos países em desenvolvimento.

O papel fundamental das PME também se reflete nos resultados da Cúpula Mundial na Sociedade da Informação (WSIS). Os líderes mundiais reconheceram o potencial económico das TIC para as PME, bem como as suas necessidades específicas, tais como aumentar a sua competitividade, agregando valor aos seus produtos e serviços, a simplificação dos procedimentos administrativos, facilitar seu acesso ao capital, e aumentando a sua capacidade de participar projetos relacionados.

O Dia Mundial das TIC e da Sociedade de Informação também incentivou uma série de medidas incluindo os regimes de incubadora, os investimentos de capital de risco, fundos de investimento dos governos, estratégias de promoção de investimento, apoio às redes de investigação e desenvolvimento e atividades de exportação de softwares, etc.

Como a agência especializada das Nações Unidas em matéria de telecomunicações e tecnologias de informação e comunicação, apelo aos nossos parceiros - governos, indústria, academia e especialistas técnicos – para:

  • Promoverem o papel das PME do sector do TIC;
  • Incentivar a difusão da inovação social digital;
  • Priorizar políticas económicas que promovam a inovação;
  • Assegurar a disponibilidade de capacidade humana necessária;
  • Apoiar a criação de ecossistemas empresariais abrangentes e, bem
  • Ajudar os empresários na mudança de ideia e inovação para vendas e receitas.

Vamos colocar os nossos recursos juntos para aproveitar o papel catalisador das TIC no desenvolvimento sustentável em prol do crescimento econômico, inclusão social e equilíbrio ambiental.

ANAC apresenta Indicadores estatísticos do mercado das comunicações electrónicas 2015

A Agência Nacional das Comunicações - ANAC é a entidade responsável pela recolha, análise e divulgação de informação estatística do sector das comunicações eletrónicas e postais.

Nas últimas décadas, o sector das telecomunicações tem vindo a assumir um papel determinante para o desenvolvimento económico, o crescimento da produtividade e a difusão tecnológica, daí a importância da compilação desses dados que constituem indicadores que permitem conhecer o estado actual da infra-estrutura de telecomunicações +-do país, nomeadamente ao nível de Telefonia fixa e móvel, internet e televisão por assinatura.

Como principais resultados, destacam-se:

 

 

  • O mercado de telefonia fixa, mantem a tendência decrescente do número de assinantes, apresentando um decréscimo de 0,13% em relação ao mesmo período do ano anterior.
  • No serviço de Telefonia móvel, em Dezembro de 2015 constavam 646.334 cartões SIM ativos no mercado móvel em Cabo Verde, o que representa um crescimento de cerca de 5,4% em relação ao mesmo período de 2014. Fixando a taxa de penetração neste período (até Dezembro de 2015) em 123%.
  • Em relação às assinaturas do serviço de acesso à internet, em 2015 registou-se 370.187, dos quais 83% utilizaram efetivamente o serviço pela tecnologia Banda Larga Móvel. Fixando a taxa de penetração do acesso ao serviço de internet em 53,49%, apresentado um crescimento de 13,3% em relação a 2014. O acesso ao serviço de internet pela tecnologia ADSL contou com 15.188 assinaturas em Dezembro de 2015, apresentando assim um decréscimo de 13% em relação ao período homólogo.
  • Quanto ao serviço de televisão por assinatura em Dezembro de 2015 o serviço contava com 11.457 assinantes, com um crescimento de 1,5% em relação ao período homólogo, e uma taxa de penetração de 2,18%.

 

 

Clique aqui para aceder ao documento completo com todos os dados relativos ao sector.

Praia, 13 de Maio de 2016.

Tribunal dá razão a ANAC fixando coima em 2. 000.000.00 á Unitel T+

O Tribunal Fiscal Aduaneiro de Sotavento deu razão á Agência Nacional das Comunicações, ANAC julgando parcialmente procedente o Recurso da Unitel T+, fixando a coima em 2. 000.000.00 (dois milhões de escudos) referente ao processo de contraordenação instaurado por violação do n.º 8 do artigo 12.º do Regulamento de Portabilidade.

A 9 de Fevereiro de 2015, a Unitel T+ foi sancionada pela ANAC com uma coima de 2.500.000.00 (dois milhões e quinhentos mil de escudos), por violação do direito a portabilidade, concretamente por 57 Timetouts e por recusa de forma indevida dos pedidos de portabilidade  .


Não concordando com a decisão da Autoridade Reguladora a operadora recorreu aos tribunais, que julgou parcialmente procedente o recurso interposto pela Unitel T+ , reduzindo a coima em 2.000.000.00(dois milhões de escudos).

ANAC realiza feira em comemoração ao Dia Mundial do Consumidor

No dia 15 de Março de 1962, o então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, enunciou quatro direitos fundamentais do consumidor (direito à segurança, informação, escolha e direito a ser ouvido), numa declaração ao Congresso norte-americano.

Atualmente, neste dia é comemorado o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, por se entender que aquela declaração de John Kennedy terá levado ao reconhecimento internacional de que todos os cidadãos, independentemente da sua situação económica ou condição social, têm direitos enquanto consumidores.

É atribuição da ANAC, proteger os direitos e interesses dos consumidores designadamente em matéria de preços, tarifas e qualidade de serviços e de garantir a transparência das relações comerciais entre os operadores e os consumidores podendo, inclusivamente, receber diretamente queixas e reclamações dos consumidores e demais utilizadores, bem como inspecionar regularmente os registos das queixas e reclamações apresentadas às entidades reguladas, podendo ainda ordenar a investigação das queixas, desde que se integrem no âmbito das suas competências.

Constitui, ainda atribuição da ANAC recomendar ou determinar aos operadores do sector das comunicações as providências necessárias à justa reparação dos prejuízos causados aos utentes.


Neste sentido, a ANAC vem promovendo anualmente várias atividades para assinalar a data e promover a informação sobre os direitos dos consumidores/utilizadores dos serviços de comunicações eletrónicas e postais.

Este ano, para assinalar a data  a ANAC realiza uma Feira, no largo do Memorial Amilcar Cabral (espaço em frente ao Auditório) no dia 12 de Março, sábado das 8h30 às 12h30 no sentido de promover a informação aos consumidores, demonstração de equipamentos e bem assim distribuir folhetos relativos aos serviços.

Participe!

 
«InícioAnterior12345678910SeguinteFinal»
Pág. 1 de 10