PT / ENG
17 de Maio - Jornada Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação

A Agência Nacional das Comunicações comemora, este ano, o dia da Jornada Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação, 17 de Maio, sob o lema "Conectar os Jovens: as possibilidades oferecidas pelas Tecnologias de Informação e Comunicação", lema este proposto pela União Internacional das Telecomunicações -UIT.

A data da criação da UIT foi no dia 17 de Maio de 1865, por isso, decidiu-se fazer dessa data o dia mundial das telecomunicações a fim de sensibilizar a opinião pública para as novas perspectivas que se abrem no concernente à utilização da Internet e das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) nos domínios económico e social.

Segundo a mensagem do Secretário-Geral da União Internacional das Telecomunicações “ este ano privilegiou-se a integração dos jovens nas actividades de desenvolvimento da UIT, para oferecer-lhes mais possibilidades e alargar o leque das soluções para o futuro. Por um lado, as TICs devem servir para reforçar as capacidades dos jovens que utilizam os cybers para aprendizagem. Por outro lado, comprometemo-nos em promover a utilização das TICs para um mundo melhor, pacífico e produtivo.

No momento em que se celebramos a Jornada Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação, convidamos aos receptores, às organizações internacionais ou governamentais e às instâncias de decisões a ajudar os jovens do mundo inteiro a aceder às TICs, por forma a que se tenham acesso às informações para uma melhor comunicação, educação, saúde e alimentação. Para responder às aspirações da população mundial é necessário, imperativamente, investir nas gerações futuras, melhorando o acesso dos jovens às comunicações e reforçando as suas capacidades.”

Em Cabo Verde, segundo a Declaração Politica de Comunicações e Informações do Estado, que estabelece o regime jurídico geral aplicável às redes e serviços de Comunicações Electrónicas, propõe-se estender a banda larga a todas as escolas secundárias para que os jovens tenham acesso equitativo às TICs e consigam acompanhar o seu desenvolvimento. Por um lado, pretende-se garantir às casas em zona urbana o acesso a INTERNET e, por outro lado, garantir o acesso a banda larga em pelo menos um telecentro comunitário em todos os aglomerados rurais.